Clicky

News Doctorate in Nursing


Lattes: do you know it?

Você sabe o que é o currículo Lattes?
Você sabe o que é o currículo Lattes?
*Por Caroline Melo
 
Criada primeiramente como uma forma de integrar dados de pesquisadores, a plataforma Lattes do CNPq é uma poderosa base de dados de currículos que une grupos de pesquisa e instituições, registrando a vida pregressa e atual de acadêmicos de todo o país. Hoje, a utilização foi bem ampliada e, uma vez que a visualização é pública, o Lattes vem sendo usado comumente como um currículo profissional online. 
 
 
 
 
Qualquer pessoa pode se cadastrar na plataforma através do site (http://lattes.cnpq.br) mas, segundo a professora Maria Clara Pestana, professora das áreas de Engenharia e Comunicação da UNINASSAU, alunos de cursos superiores devem se cadastrar. “Todos os que estão fazendo graduação têm que ter currículo Lattes. Esses dados estão disponíveis para todos e permitem uma conexão maior”, opina Maria Clara, se referindo à ligação com a academia e ao que os empregadores buscam. 
 
O cadastro é simples e o site é bem autoexplicativo. Os campos que as páginas apresentam são bastante claros e vão pedir desde a compreensão em diferentes línguas até suas áreas de atuação. Suas informações curriculares, como graduações e pós, participações em eventos e pesquisas, assim como atuações profissionais, serão destacadas no currículo. Com todas as informações dispostas de forma simples, o currículo Lattes é importante para dar visibilidade à produção e à trajetória de pesquisas de todos os acadêmicos e é através dele que as pessoas identificam o seu perfil, em uma análise rápida e geralmente bastante confiável. 
 
O que fazer e o que NÃO fazer
Antes de sair correndo para juntar todo o seu histórico na academia e seus certificados de congressos, vamos lembrar da seriedade que o seu Lattes deve apresentar. “O que não tem comprovação não entra! Assim como tudo que não tem certificado”, avisa a professora Maria Clara Pestana. Isso quer dizer que seu inglês fluente deve vir acompanhado de um diploma ou um teste de qualificação, e aquela palestra que você assistiu mas não obteve certificação vai precisar ficar de fora. 
 
A professora e orientadora também aconselha ter cuidado com a sua foto do Lattes. “Tem gente que coloca foto na praia, de biquíni. É preciso uma foto de rosto mais formal”. Ou seja, esqueça a foto da balada também ou a que mostra seus belos músculos: não é isso que a academia está procurando. 
 
O cuidado com as informações dentro dessa plataforma são como os de qualquer currículo profissional. Ou seja, uma das principais regra é não mentir. Dizer que falar 40 línguas enquanto sequer fala bem português é um erro que jamais deve ser cometido. E por falar nisso… “Se tiver erro de português, a pessoa nem vai continuar a ler o Lattes”, alerta Maria Clara. E se estiverem na sua área de biografia, que fica no topo da página, serão uma das primeiras coisas a serem notadas, muito mais que sua qualificação. Outra dica importante acerca da “biografia” é que a área não é o ‘Quem sou eu?’ do finado Orkut, então evite discursos elaborados, com autopromoção ou em primeira pessoa. 
 
Você já se cadastrou na plataforma? Compartilhe suas impressões (e o currículo também!)